"*RÁDIO SOTELO*"

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

HÁ BENÇÃO ESCONDIDA ATRÁS DO SOFRIMENTO
 quando estamos em meio à tempestades, podemos nos sentir como os discípulos no barco, parece que o Senhor não se importa com que pode nos acontecer e estamos condenados.

Quando estamos em meio à tempestades, podemos nos sentir como os discípulos no barco, parece que o Senhor não se importa com que pode nos acontecer e estamos condenados!
O sofrimento nos lapida e nos ensina a entregar por completo a nossa vida nas mãos do Senhor, então Ele acalma a tempestade, vira o cativeiro e te exalta da prisão ao governo em um piscar de olhos. Há bênçãos escondidas atrás de nossos sofrimentos.
Gosto muito da história de José, um filho sonhado, um servo de Deus levantado desde o ventre, e quanto sofrimento suportou. Ele foi vendido pelos próprios irmãos, foi arrancado de todos aqueles que o amavam, do seio da família, perdeu TUDO e se tornou escravo em terra estrangeira.
Porém, Deus tinha um propósito maior em todo este sofrimento e não deixou de cuidar dele por um segundo sequer, por mais que José possa ter se sentido só, esquecido, Deus estava com ele e tudo estava debaixo do controle de Dele.
José, no mesmo dia que estava se sentindo esquecido na prisão, Deus o exaltou e ele foi colocado como governador do Egito!
(Gênesis 41:14) – Então mandou Faraó chamar a José, e o fizeram sair logo do cárcere; e barbeou-se e mudou as suas roupas e apresentou-se a Faraó.
(Gênesis 41:39) – Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu. (Gênesis 41:40) – Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu. (Gênesis 41:41) – Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito. (Gênesis 41:42) – E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pôs na mão de José, e o fez vestir de roupas de linho fino, e pôs um colar de ouro no seu pescoço. (Gênesis 41:43) – E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam diante dele: Ajoelhai. Assim o pôs sobre toda a terra do Egito. (Gênesis 41:44) – E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito.
Assim como a vida de José estava sob o controle de Deus, a sua também está! Ele cumpre o que promete e nos exalta em Seu tempo!
Afaste de você a incredulidade, que faz oposição à fé abrindo oportunidades para Satanás plantar a dúvida em seu coração e impedindo o agir de Deus!
Tudo é possível ao que crer! O Senhor pode virar o seu cativeiro em um estalar de dedos!
Somente creia sem olhar para as circunstâncias e deixe Deus conduzir sua vida sem questionar!
Cuidado com o que fica para trás!
(II Samuel 3:22-30)
Coisa difícil é conviver com algo mal resolvido. Por mais que você tente esquecer, por mais que você sublime ou mesmo recalque, por mais que tome todos os cuidados para que aquele assunto não venha à baila, ele um dia, creia nisso, acabará emergindo. Coisas mal resolvidas são como submarinos: têm boa autonomia na imersão, passam muito tempo no fundo do mar, mas uma hora acabam por subir.
Foi assim com Joabe. Aquele que se destacara como o General dos exércitos de Davi, tinha algumas pendências com o General da casa de Saul chamado Abner. Vale a pena lembrar que o povo de Deus estava dividido, lutando entre si após a morte do rei Saul (II Sam.3:1). De um lado aqueles que apoiavam a dinastia do falecido, e que tinham Isbosete agora como rei; de outro aqueles que apoiavam o rei de fato, aquele que fora ungido por Samuel, a Davi. Aliás, não é assim que muitos se encontram: lutando entre os ungidos e os estabelecidos?
A primeira pendência está ligada a posição. Abner viu que o governo de Isbosete não tinha futuro. Foi então negociar o apoio dele e dos demais líderes a Davi (3:10). Joabe não estava lá durante esse encontro (3:22). Certamente temeu por sua posição (Tg.3:14-17). Perceba uma coisa: muitos dos conflitos ou o que está por detrás dele reside numa suposição, numa estória mal contada. Uma coisa é você ter um enfrentamento sabendo de alguma injustiça; outra, totalmente diferente, é lutar contra algo que nunca existiu! Isso lembra as quixotescas estórias que Cervantes contava sobre o homônimo personagem que via em montes de feno, inimigos armados! Se Joabe tivesse parado para ouvir Davi talvez as coisas pudessem ter tomado um rumo diferente.
Nessas horas de suposição, pare para ouvir. Mas ouça quem tem sabedoria e conhecimento do assunto. Joabe (3:24-25) só falou, não ouviu. Aqui vale a recomendação de Tiago 1:19.
A segunda pendência tem haver com algo que ficara para trás. Numas das batalhas entre a casa de Saul e a de Davi, Abner acabou matando (mesmo não querendo) a Asael, irmão de Joabe (2:21-23). E agora essa dor não consolada, esse sentimento não resolvido cobrava a sua conta. Numa estratégia, Joabe engana Abner e o mata à porta de Hebrom (3:27,30).
O que acontece quando as coisas ficam para trás, isto é, mal resolvidas?
*Faz com que tenhamos leituras erradas das pessoas e de suas atitudes. Não foi assim que Joabe maldou a atitude de Abner de procurar a Davi para negociar a paz?
* Nossa mente se volta para planejar e arquitetar coisas ruins. Literalmente viramos oficina do Diabo. Não foi isso que Joabe fez(v.26)? Ao invés de nos esforçamos par ao bem, nos entregamos para o mal.
* Coisas mal resolvidas produzem feridas maiores. É igual a “lei do desconto”. Nunca, “numa brincadeira”, o desconto sai igual, na mesma proporção, que a provocação inicial. O sentimento amordaçado de Joabe fez com que ele matasse uma pessoa e trouxesse maldição para si e para sua casa (3:29).
Mas o que fazer então diante de situações que não foram resolvidas? Quero aqui dar algumas sugestões do que Joabe e, por conseguinte cada um de nós, poderia ter feito;
Deixe o assunto na esfera que lhe pertence. Não o tenha como pessoal. A morte de Asael fora uma fatalidade do trabalho (eles eram guerreiros). Abner tentou evitá-la, mas chegou um momento que ou era ele ou o filho de Zeruia. Joabe tomou isso como algo pessoal. Não leve para o lado pessoal aquilo que é profissional. Trate do assunto na esfera/ambiência competente.
Se tem algum assunto mal resolvido, um clima esquisito, marque um encontro, mas não vá só. Leve mais alguém que possa, caso seja necessário, não só testemunhar a conversa mas principalmente mediá-la. Nós estamos falando de algo que ficou mal resolvido, inacabado. A visão de outra pessoa pode muito nos ajudar a enxergar as coisas como elas realmente são.
Fique com a última palavra do Rei (3:22,23). Se o rei o despediu e ele foi em paz, por que Joabe deveria procurar briga? Numa situação que você esteja experimentando algo mal resolvido, busque as Palavras do Rei – Jesus. E fique com o direcionamento que o Senhor vai lhe dar.